À sombra das chuteiras meridionais

Autores

Cesar Augusto Barcellos Guazzelli, Miguel Enrique Stédile, Rafael Hansen Quinsani

Subtítulo

uma História Social do futebol (e outras coisas...)

Editora

Editora Fi

Cidade

Porto Alegre

Páginas

640

Ano

2021

ISBN

9786559171446

Sumário

Apresentação, 13
Os organizadores

Prefácio, 15
Bernardo Borges Buarque de Hollanda

1 O direito ao estádio, 24
Gilmar Mascarenhas de Jesus

Primeiros Tempos

2 A emergência de ligas de futebol em Pelotas e Rio Grande nas primeiras décadas do século XX, 42
Luiz Carlos Rigo
Christian Ferreira Mackedanz

3 Os fields da elite e os “campos da Redenção”: um olhar sobre os primórdios do futebol em Porto Alegre a partir de sua espacialidade urbana (1903-1909), 61
Gérson Wasen Fraga

4 Fuss-ball Club Porto Alegre (1903-1944): Clube precursor do futebol em Porto Alegre/RS, 80
Janice Zarpellon Mazo
Tuany Defaveri Begossi

5 “Canelas pretas” no fundão da américa: imprensa negra e futebol ,108
José Antônio dos Santos

6 O negro no futebol de Porto Alegre: um olhar sobre duas fontes gremistas, 127
Ricardo Santos Soares

7 “Está na berlinda o futebol”: Modernidade e futebol nos anos 1920 em Porto Alegre, 145
Mauricio Garcia Borsa dos Santos

8 Da fábrica à várzea: Clubes de futebol operário em Porto Alegre (1931-1937), 164
Miguel Enrique Almeida Stédile

9 A crise das especializadas no Rio Grande do Sul através das páginas do Correio do Povo (1937-1938): O discurso sobre a profissionalização do futebol em princípios do Estado Novo, 179
Rafael Belló Klein

Nem só de Grenal viverá o gaúcho

10 Nem tricolor nem colorado: o mais simpático de Porto Alegre – Esporte Clube São José (1913-1940), 201
Rafael Hansen Quinsani
Diego Oliveira de Souza

11 Ypiranga de Erechim: A concepção do futebol consolidada em símbolos nacionalistas, 217
Luciano Anderson Breitkreitz

12 História, memória e identidade através do futebol operário e amador da região carbonífera do Rio Grande do Sul – Brasil, 236
Tassiane Mélo de Freitas

Lugar de mulher também é dentro do campo

13 Mulheres e futebol no Rio Grande do Sul: Apontamentos de uma história plena de descontinuidades, 257
Silvana Vilodre Goellner
Suellen dos Santos Ramos

14 Futebol e mulher: invisibilidade, erotização e bate bola, 275
Camila Guterres Casses de Oliveira

Geraldinas e Arquibaldos: identidades e questões contemporâneas

15 Da batalha de La Plata a dos Aflitos: a modelagem das tradições a partir gremismo, 293
Arlei Sander Damo

16 “Sou gaúcho e sou peleador”: barras bravas no Rio Grande do Sul e a hegemonia nas arquibancadas gaúchas, 315
João Manuel Casquinha Malaia Santos
Elias Cósta de Oliveira

17 Das charangas às torcidas antifascistas: a escrita da história das torcidas de futebol no Brasil meridional, 339
Caio Lucas Morais Pinheiro

18 Coligay: a torcida que “saiu do armário”, 357
Elvio Antônio Rossi

19 A rememoração da torcida Coligay como parte da construção do clube de todos, 377
Luiza Aguiar dos Anjos

20 A rivalidade gre-nal e o uso do termo “macaco” na torcida do Grêmio, 396
Gustavo Andrada Bandeira

21 “O povo fez o Inter”: Resistências ao processo de “arenização” do estádio Beira-rio, 413
Ricardo César Gadelha de Oliveira Júnior

22 A Lei Pelé, o fim do passe e a modernização conservadora do futebol brasileiro, 433
Francisco Xavier Freire Rodrigues

Bolas de papel: a imprensa como fonte para os estudos sobre o futebol

23 Relembrando a “Mais Gaúcha de Todas as Copas”: disputas identitárias na imprensa esportiva da Copa do Mundo de 2002, 455
Édison Luis Gastaldo

24 Campos que resistem, páginas que contestam: imprensa alternativa e futebol na ditadura empresarial-militar (1975-1978), 472
Guilherme Kichel de Almeida

Outras coisas (antes e depois do começo do jogo)

25 O pato é a bola da vez: gaúchos, tropelias e outras barbaridades!, 499
Cesar Augusto Barcellos Guazzelli

26 Entre touros e patins: Facetas da modernidade Porto-alegrense (século XIX), 526
Victor Andrade de Melo
Cleber Eduardo Karls

27 Pelos prados de Pelotas/RS: as meridionais corridas de cavalos na transição do século XIX e XX, 546
Ester Liberato Pereira
Giandra Anceski Bataglion

28 A Universíade de 63: Garimpando memórias, 579
Maristel P. Nogueira

29 Entre profissionais e amadores: do boxe espetáculo aos primeiros clubes de pugilismo em Porto Alegre/RS (1912-1926), 597
Jônatas Marques Caratti

Resumos, 620

Autores, 631

Sinopse

A pandemia também serviu para confirmar a importância do futebol. É vacina contra o Coronavirus? Claro que não. É remédio eficaz contra a depressão. Mesmo que  os estádios estejam vazios, as residências estão cheias de torcedores, pacientes psiquiátricos beneficiados pela terapia do futebol. Torcer ou secar, secar ou torcer, isto faz bem, muito bem. Sou obsessivo-compulsivo em matéria de imparcialidade. Modéstia à parte. Colorados pensam que sou gremista, gremistas pensam que sou colorado. Que delícia! É neste clima que dou as boas-vindas à história do futebol brasileiro meridional. Imperdível! Pelo conteúdo e o talento dos seus autores. Esta coisa mágica, o futebol, foi criada pelos ingleses. Mas não é só para inglês ver.

LAURO QUADROS

Referência

GUAZZELLI, Cesar Augusto Barcellos; STéDILE, Miguel Enrique; QUINSANI, Rafael Hansen. (Orgs.).À sombra das chuteiras meridionais: uma História Social do futebol (e outras coisas...). Porto Alegre: Editora Fi, 2021.