Mais que Barbies e ogras

Autores

Cláudia Samuel Kessler

Subtítulo

uma etnografia do futebol de mulheres no Brasil e nos Estados Unidos

Orientador

Arlei Sander Damo

Faculdade / Instituição

Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social / Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Tipo

Tese

Área de concentração

Doutorado em Antropologia

Ano

2015

Páginas

375

Cidade

Porto Alegre

Resumo (pt)

Com base na etnografia realizada entre 2011 e 2013 – incluindo observação participante, entrevistas, registro fotográfico e enquete – esta tese analisa o significado do futebol de mulheres em Porto Alegre (RS, Brasil) e Amherst (MA, Estados Unidos). Ao invés de utilizar o termo futebol feminino, corrente tanto no espaço esportivo quanto acadêmico, proponho o conceito de futebol de mulheres, objetivando, com isso, a desindexação do pensamento normativo de gênero, refém do binômio “masculino/feminino”. O futebol de mulheres, no Brasil, é um espaço marcado pela expressão de múltiplas perspectivas de gênero, além de se caracterizar por performances corporais improvisadas e criativas, revelando-se um espaço de disputas, mas também de convivialidade, como outros espaços sociais quaisquer. Trata-se, portanto, de afirmar este espaço de relações multifacetadas, deixando de lado o discurso das ausências, da precariedade e da invisibilidade, a partir dos quais este futebol tem sido caracterizado. Em Porto Alegre, podem-se destacar as marcações sociais e econômicas que influenciam na dinâmica dos grupos, enquanto, nos Estados Unidos, acentuam-se as marcações etárias. Com a proposta de ampliar mais do que esgotar as reflexões sobre o tema, reflito sobre a heterogeneidade dos agentes sociais que compõem o mundo futebolístico de mulheres de Porto Alegre e de Amherst, tais como jogadoras, comissões técnicas, organizadores, arbitragem, público e mídia. A tese, no seu conjunto, busca tensionar a necessidade de associação do futebol de mulheres à estrutura futebolística instituída pela lógica do espetáculo midiático e mercadológico, como se esta fosse a única possibilidade de reconhecimento, afirmação de identidades e sociabilidade.

Abstract

Based on ethnographic practices carried out between 2011 and 2013 – including interviews, photographic documentation and polls – this thesis analyzes the meaning of women’s soccer in Porto Alegre (RS, Brazil) and Amherst (MA, United States). Instead of using the term “feminine soccer” commonly used both in sports and academic spaces, I propose the concept of “women’s soccer”, aiming thereby to disassociate it from normative gender thinking, still hostage to the binomial “masculine/feminine”. Brazilian women’s soccer is a space marked by the expression of multiple perspectives of gender. It is characterized by improvised and creative body performances, revealing itself as a space of disputes, but also conviviality, similar to other social spaces. It’s, therefore, necessary to state this space as one of multifaceted relations, leaving aside the “discourse of absence”, precariousness and invisibility from which this space has been characterized. In Porto Alegre, one can highlight the social and economical markers that influence the dynamics of groups, while in United States one can highlight age markings. With the proposal to extend more than exhaust the reflections on the subject, I think on the heterogeneity of social actors that make up the world of “women’s soccer” in Porto Alegre and Amherst, such as: players, technical commissions, organizers, referees, public and media. The thesis, as a whole, reflects on the need to associate “women’s soccer” to the soccer structure established by the logic of media and marketing spectacles as if this were the only possibility of recognition, affirmation of identities and sociability.

Sumário

PRELIMINARES, 14

  1. O UNIVERSO DO FUTEBOL DE MULHERES: SUPERANDO A INVISIBILIDADE E A FEMINILIDADE TRADICIONAL, 30
  1. FUTEBOL DE MULHERES: DA ASSISTÊNCIA À PRÁTICA, 67
  1. MUNDOS FUTEBOLÍSTICOS DE MULHERES, 99
  1. O MUNDO DO SOCCER NOS ESTADOS UNIDOS, 127
  1. ORGANIZAÇÃO DE CAMPEONATOS E EQUIPES PORTO-ALEGRENSES, 167
  1. ETNOGRAFANDO NO FUTEBOL DE MULHERES PORTO-ALEGRENSE, 201
  1. A PRODUÇÃO DE FAMÍLIAS ESPORTIVAS: SOCIALIDADE E RIVALIDADE DENTRO E FORA DOS CAMPOS DE FUTEBOL, 235
  1. O POLÍTICO A PARTIR DA ESTÉTICA, 273
  1. AS DIFERENTES TRAJETÓRIAS DE FUTEBOLISTAS, 319

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS,  355

REFERÊNCIAS, 360

Referência

KESSLER, Cláudia Samuel. Mais que Barbies e ogras: uma etnografia do futebol de mulheres no Brasil e nos Estados Unidos. 2015. 375 f. Tese (Doutorado em Antropologia) - Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social / Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.